Carmen Locatelli
A intensidade do medo define o valor de seus sonhos!
Capa Meu Diário Textos E-books Fotos Perfil Livro de Visitas Contato Links
O QUE SOBRA DO AMOR
12/11/2007

Os pássaros cantam mais silenciosos hoje, mas eu tampouco desejo ouvi-los.
O vácuo que existe entre o presente e a sua partida é uma mansidão fria e pouco consoladora e é o único lugar seguro para eu morar agora.
Alguns pedaços de mim ainda são encontrados lá fora e alguns sonhos ainda ousam sair da gaveta, mas meu coração parou no tempo.
Mãos singelas e frias tentam me alcançar, mas como podem?
Já não posso ser tocado, nem trazido de volta.
Olhos serenos ainda buscam em mim uma perfeição que outrora se fez presente e agora já não a reconheço mais; eis minha verdade: 
A vivacidade da pele, o lábio macio, o calor do corpo ardente... tudo perdeu-se e onde ficou não sei.
Peco por inércia ou por euforia excessiva? Por medo ou por culpa?
Essas dúvidas me afastam ainda mais de mim e de tudo que eu já fui um dia.
Qual é minha identidade?
Qual o sonho que eu ainda não sonhei?
Qual o amor que eu ainda não imortalizei?
Qual o temor que ainda não me abateu?
Sou um homem meio vazio, meio cheio; um tanto raso e muito profundo.
E em minha mansidão eu ainda espero por você... entre livros empoeirados e músicas silenciosas.
Para sempre.

 
Carmen Locatelli
Enviado por Carmen Locatelli em 02/12/2012
Alterado em 19/02/2018
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.